sexta-feira, 25 de julho de 2014

Tempos apocalípticos? Cidade chinesa em quarentena devido a peste bubônica


- "... E haverá fome, peste e grandes desgraças em diversos lugares." (Mt. 24,7) - "... E pestes ... (Lc. 21, 11) - " Quando abriu o quarto selo, ouvi a voz do quarto animal, que clamava: "vem!" E vi aparecer um cavalo esverdeado. Seu cavaleiro tinha por nome Morte; e a região dos mortos o seguia. Foi-lhe dado poder sobre a quarta parte da terra, para matar pela espada, pela fome, pela peste e pelas feras." (Ap. 6, 7-8) 

 China veda cidade de 30 mil habitantes após morte por peste bubônica 

A cidade chinesa de Yumen, na província noroeste de Gansu, foi fechada e 151 pessoas colocadas em quarentena depois que um homem morreu de peste bubônica. Isso, aquela mesma que você cansou de ler a respeito nos livros do colégio, da bactéria transmitida por ratos e responsável por algumas das piores pragas da história humana. A rede China Central Television relatou que as 30 mil pessoas de Yumen não estão autorizadas a deixar o local e a polícia instalou bloqueios no perímetro da cidade para orientar motoristas a buscarem rotas alternativas. O jornal China Daily diz que quatro setores de quarentena foram criados na cidade. Ainda de acordo com a CCTV, a cidade tem arroz, farinha e óleo suficiente para abastecer todos os seus residentes por até um mês. Os moradores locais e aqueles em quarentena estão em condição estável. Felizmente, não houve mais casos de peste relatados. Tudo começou na semana passada, quando um homem de 38 anos morreu depois de entrar em contato com uma marmota morta – um pequeno roedor peludo, parente dos esquilos. A peste bubônica é uma infecção bacteriana conhecida pelos eventos da Praga de Justiniano e da Peste Negra. Esta última matou dezenas de milhões de pessoas na Europa do século XIV. A responsável pela tragédia foi Yersinia pestis, uma bactéria que pode infectar humanos e outros animais. Ainda mais assustador é o fato de um estudo ter sido publicado no início deste ano na revista “Lancet” afirmando que a devastação da peste negra poderia acontecer de novo. “Se a Praga de Justiniano pôde entrar em erupção na população humana, causar uma pandemia em massa e depois desaparecer, isso sugere que poderia acontecer de novo”, observou um dos pesquisadores. “Felizmente, agora temos antibióticos que poderiam ser usados ​​para tratar eficazmente a peste, o que diminui as chances de uma nova pandemia humana em grande escala”. De fato, o Centro para Controle de Doenças dos EUA afirma que antibióticos modernos são eficazes no tratamento de praga, mas que, sem o tratamento imediato, a doença pode se agravar seriamente, levando até à morte. Inclusive, o sudoeste dos Estado Unidos ainda registra aparições da doença, que ocasionalmente acabam em morte. Mesmo assim, nenhuma quarentena foi decretada. Claramente, os chineses não querem correr nenhum risco. Fonte: hypescience

Nenhum comentário: