quinta-feira, 26 de junho de 2014

OS SINAIS DA VINDA DE JESUS

Nos dias atuais, estamos sendo privilegiados por Deus, pois temos acompanhado e certamente participado do cumprimento de diversas profecias, proferidas há séculos e referentes aos “tempos do fim”. É visível o que Deus tem feito, bem como, a ação do homem e do diabo, transformando em realidade a Palavra Bíblica.

Um dos mais enfáticos ensinamentos do Senhor Jesus foi que Ele um dia retornaria a esta terra e que os Seus fiéis saberiam quando seria.

I.      O QUE É O FIM DOS TEMPOS
O fim dos tempos refere-se aos eventos que antecedem à segunda vinda de Jesus Cristo. E nós vemos que toda a Bíblia é escrita em torno do Senhor Jesus, o verdadeiro Messias e seu reinado. Sabemos que Deus revelou aos profetas do Velho Testamento os adventos tanto da primeira quanto da segunda vinda de Jesus Cristo e os finais dos tempos.
Há ainda outras expressões ao longo da Bíblia que também fazem menção a este mesmo período, por exemplo:

O fim - Mateus 24.14 “E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim”.

Últimos tempos – Judas 18 “Os quais vos diziam que nos últimos tempos haveria escarnecedores ,que procuram gratificar seus próprios desejos irreverentes, que andariam segundo as suas ímpias concupiscências”.

O tempo do fim - Daniel 12.9 “E ele disse: Vai, Daniel, porque estas palavras estão fechadas e seladas até o tempo do fim”.

Última hora – 1ª João 2.18 “Filhinhos, é já a última hora, o fim desta era; e, como ouvistes que vem o anticristo ,aquele que se oporá a Cristo disfarçando-se de Cristo, também agora muitos têm-se feito anticristos, por onde conhecemos que é já a última hora (o fim)".

Há ainda, inúmeras outras referências dentro da Palavra de Deus acerca deste mesmo período.

II.             O QUE SÃO OS SINAIS DA VOLTA DE JESUS
 Os sinais relativos à volta de Nosso Senhor Jesus Cristo estão alinhados numa série de profecias, cujo principal objetivo é alertar os salvos a estarem convenientemente preparados para o arrebatamento da Igreja. No sermão profético, faz-nos o Senhor esta advertência: “Igualmente, quando virdes todas essas coisas, sabei que Ele está próximo, às portas” (Mt 24.33).

No evangelho segundo Mateus, o Senhor Jesus enfatiza fatos e acontecimentos que nos revelaria o ponto cruciante de Sua volta para arrebatar a Sua Igreja, quando esses sinais começarem acontecer disse o Senhor: “levantai vossas cabeças para o alto porque a vossa redenção já se aproxima” (Lc 21.28).

Ao todo, podemos apontar mais de trezentos sinais e profecias referentes ao aparecimento iminente de Cristo. Sendo o tema de maior relevância das Sagradas Escrituras, assim devemos considerar os referidos sinais.

Apesar de parecerem sem importância aos olhos dos incrédulos, todos os sinais relativos à vinda de Jesus tem de ser bíblica e teologicamente considerados.

A atenção da Igreja está voltada com grande simpatia, interesse e expectativa para muitos sinais que estão acontecendo nas mais distintas esferas. O Senhor Jesus foi bastante explicito em Suas predições, sobre quais seriam as condições do mundo, quando do Seu retorno a terra. Os discípulos de Cristo procuraram em particular e perguntaram-lhe: “Dize-nos quando acontecerão estas coisas, e que sinal haverá da Sua vinda e do fim dos tempos” (Mt 24.3). Jesus, então, deu-lhes uma lista dos sinais que deveriam observar; iniciando com os sinais religiosos. Veremos agora os fatos e acontecimentos que englobam o poder Glorioso do Mestre em profetizar- nos o seu retorno a terra.

Quando acontecerão estes sinais? Alguns já aconteceram (Israel como nação). A maioria já está acontecendo, basta ver os jornais. (Guerras, fome, terremoto, apostasia, falsos mestres, etc.). Outros ainda acontecerão. (reconstrução do templo, etc.), “...mas ainda não é o fim” (Mt 24.6).

III.             SINAIS NA ÁREA RELIGIOSA
1.      Falsos Cristos.
Em Mateus 24.3, os discípulos de Jesus fizeram-lhe uma pergunta dizendo: “Dize-nos quando serão estas coisas”; “que sinal haverá da tua vinda” “e do fim do mundo?” A primeira coisa que Jesus advertiu foi: “Acautelai-vos que ninguém vos engane. Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos” (Mt 24.4). “Então, se alguém vos disser: Eis que o Cristo está aqui ou ali, não lhes deis crédito”.
Muitos “líderes” religiosos têm-se apresentado como Cristo ou dizendo que são os salvadores do mundo, mas estão enganando a muitos como profetizou o Senhor Jesus.
Nos últimos 50 anos, cerca de 1.100 líderes se apresentaram como cristo ou na condição de salvador do mundo.

 2.      Falsos profetas.
“E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas e farão tão grandes sinais e prodígios, que, se possível fora, enganariam até os escolhidos” (Mt 24.11, 24).

Na Bíblia encontramos uma relação de falsos líderes que podemos enquadrar como falsos profetas.
 “Também, movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme” (2ª Pe 2.3).

Os falsos profetas aqui são comparados aos falsos líderes da obra de Deus, isto é, pessoas que promovem-se a líderes com fins gananciosos, que pregam a mensagem por interesses financeiro, que usurpam os bens das pessoas simples, oferecendo em troca bênçãos que não podem dar, ensinam doutrinas de homens e acham-se sábios e superiores aos demais, pelo que terão de prestar contas ao justo Juiz de toda a terra.

O apóstolo Pedro já advertia a Igreja de Cristo em seus dias dizendo: “E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmo repentina perdição. E muitos seguirão as suas dissoluções pelos quais será blasfemado o caminho da verdade. E por avareza, farão de vós negócios com palavras fingidas” (1ª Pe 2.1-3).

Um dos grandes sinais do fim dos tempos (Mt 24.3) é a aparição de um grande número de “falsos obreiros” ou de “falsificadores da Palavra de Deus”, que enganarão com muita habilidade e astúcia o povo de Deus (Mt 24.5,11), inclusive, com a realização de grandes sinais e prodígios. Esses “falsos obreiros” encontram-se exercendo várias funções na igreja.

À medida que o fim se aproxima, surgem muitos falsos mestres e pregadores entre o povo. A lealdade total à Palavra de Deus, bem como santidade bíblica, serão coisas raras. Cristãos professos aceitarão “novas revelações” mesmo que elas conflitem a Santa Palavra de Deus. Isto motivará oposição à verdade bíblica dentro das igrejas. Para não ser enganado, cada cristão deverá crescer em fé e amor para com Cristo, e ter como autoridade absoluta em sua vida a Palavra de Deus, conhecendo-a bem na sua totalidade. Queremos ressaltar aos irmãos leitores que Satanás está criando uma grande confusão religiosa na mente das pessoas, para não crerem no Evangelho do Senhor Jesus.

O aumento dos falsos mestres e a gravidade de suas heresias marcarão os últimos dias antes da vinda de Cristo.

3.      Aumento dos escândalos nas igrejas cristãs.
“Nesse tempo muitos hão de escandalizar-se, trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se aborrecerão. E surgirão muitos falsos profetas e enganarão a muitos” (Mt 24.10-11).

Isto decorre da existência da Igreja na terra, e do joio que cresce no meio do trigo (Mt 13.330, 40-43). Hoje temos visto uma onda crescente de escândalos, envolvendo principalmente aqueles que destacam-se na igreja e na sociedade. A corrupção o roubo, o adultério, a ganância tem sido alvo dos escândalos de obreiros no meio do povo de Deus nestes últimos dias.

Causas dos escândalos: Destaque e interesse de posição, o envolvimento com dinheiro e adultério, essas causas têm puxado o tapete de muita gente, que envolvem-se e escandalizam a obra de Deus na terra.

As consequências de escândalos cometidos por certos “lideres”, tem deixado muitas igrejas apática sem interesse pelas coisas espirituais (Ap 3.15-16), principalmente pelo evangelismo. Obreiros despreocupados e acomodados, como se Jesus não voltaria para esta geração. Amantes mais do dinheiro do que das almas.

4.      A manifestação da apostasia.
Inspirado pelo Espírito Santo, deixou-nos o apostolo Paulo este gravíssimo alerta: “Mas o espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e à doutrina dos demônios. Pela hipocrisia dos homens que falam mentira, tendo cauterizado a sua própria consciência” (1ª Tm 4.1-2).

Apostasia do termo grego apostásis, e significa afastamento, abandono consciente e público da fé.
Observe que essa “apostasia” doutrinária será um grande afastamento da fé. Há muito tempo que os eruditos bíblicos afirmam que isso significa que a vasta maioria das igrejas no fim dos tempos abandonaram as doutrinas fundamentais em uma extensão tal que elas não mais poderão ser consideradas cristãs.

Para qualquer observador experiente e informado, é bem claro que os tempos de afastamento da igreja das doutrinas fundamentais antes defendidas já chegaram. Há muito tempo Satanás aprendeu que precisa introduzir diversas enganações, por que nem todas as pessoas em uma população cairão em uma única mentira; portanto, Satanás criou diversas religiões falsas, sabendo que se uma pessoa não for enganada por uma grande falsidade, talvez seja enganada por outra.

Trata-se do terrível pecado desviar-se da fé. O Espírito Santo fala abertamente que nos últimos dias muitos vão apostatar, isto é, negar a fé, negar as doutrinas do cristianismo. As Sagradas Escrituras ensinam que haverá um grande desvio da fé no fim dos tempos. Será uma era de tempos trabalhosos (2ª Tm 3.1-9). Nessa época a sã doutrina não será suportada. Haverá entre o povo de Deus heresias destruidoras. A apostasia é uma rebelião contra a fé cristã. São pessoas que terão oportunidade de ouvir a pregação do santo evangelho, mas irão endurecer seu coração, não aceitando as verdades bíblicas. Por essa razão apostatarão da fé, ou seja, afatar-se-ão conscientemente da sã doutrina bíblica e negarão as verdades bíblicas. Porém, podemos afirmar que os verdadeiros crentes que experimentarão do amor e da graça salvadora jamais apostatarão.

Infelizmente, essa profecia vem-se cumprindo de forma alarmante. Igrejas são corrompidas por falsos mestres; congregações inteiras são desviadas da simplicidade do evangelho por videntes e profetas que se acham a serviço de Satanás.

Neste final de século tem-se alastrado uma verdadeira febre pelas questões esotéricas que manifesta-se dos mais diferentes modos: grafologia, mapa astral, astrologia, viagens para fora do corpo, comunicações telepáticas, pirâmides, cristais, duendes, gnomos da prosperidade, livro de relaxamento, meditação, medicina alternativa, ovnis, Ets., explosão de novas seitas.

A situação atual é favorável ao cumprimento dessas profecias. Ecumenismo, Nova Era, globalização, unificação política e econômica, controle tecnológico, apostasia cristã. Isso não nos traz medo, mas alegria: breve Jesus voltará (Lc 11.25-28).

5. A propagação universal do Evangelho.
“E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim” (Mt 24.14).

Conquanto existam ainda muitos povos não alcançados pelo evangelho, não podemos ignorar que, em termos universais, o Evangelho já chegou aos confins da terra. Pois o fim não poderá ocorrer enquanto isso não acontecer. Paulo referiu-se a essa necessidade em Rm 10.12-15, e uma vez que “a totalidade dos gentios” tenha sido trazida para o redil, então virá o “fim”, o que significa que Deus terá completado, neste mundo, os planos para a propagação das boas novas e cumprir-se-ão os seus propósitos entre as nações. Aqueles que fizerem parte deste grupo perseverante, que não hesitarem, que não deixarem-se envolver pela apostasia e pela iniquidade, mas que continuarem fiéis na proclamação das boas novas de Deus, até que seus planos estejam completos quanto a este mundo, estes serão os que compartilharão daquela grande herança dos redimidos.

Portanto, precisamos compreender claramente que a Igreja é responsável por trabalhar com Deus para que o reino seja trazido, como Mateus 24.14 confirma. E, ao entender que o reino de Deus só pode aparecer publicamente após o final desta era, a Igreja não pode fazer outra coisa a não ser estar interessada no fim.

Pois, embora o final dessa era não tenha nenhuma relação com a Igreja em si, ela tem muito a ver com a pregação do evangelho.

Por esta razão, o Senhor Jesus nos diz em Mateus 24.14 que o evangelho do reino deve primeiro ser pregado e, então, o reino dos céus virá.

A pregação do evangelho é nada mais é que declarar que Deus, que reina nos céus hoje, amanhã reinará sobre a terra expulsando completamente o príncipe das trevas com todos os seus seguidores e maus espíritos para que, então, para que Cristo implante seu reinado com sua Igreja.

Continuaremos no próximo capítulo.

Pr. Elias Ribas
COPIADO DE: http://pastoreliasribas.blogspot.com.br/2014/06/os-sinais-da-vinda-de-jesus.html

Nenhum comentário: