quarta-feira, 11 de junho de 2014

O contraste do fim dos tempos! Capitalismo selvagem X catástrofes naturais


jo1 Fotos da Enchente em Santa CatarinaInvestimentos de estruturas para enfrentar desastres naturais no Brasil é igual a zero...



Calamidade Publica 
Edson Gomes 
Nasci no fim do mundo Vivo no fim do mundo Aqui nesse fim de mundo Vivo como um condenado Pois nada sobrou pra mim Quando as casas caem Sinto-me triste demais Pois no meio dos escombros Bem que eu poderia, eu poderia estar Minha familía, os meus amigos A minha família estava lá Todo ano isso ocorre É sempre o mesmo corre-corre Todo ano a hipocrisia Faz parte dessa agonia Demagogos, oportunistas Vejam as vítimas De toda a inoperência Da brutal ganância Quando a chuva cai É um sacrifício a mais A gente já não vive em paz E quando essa chuva cai Piora tudo aqui e a gente fica assim Pedindo clemência, correndo risco Tudo é perigo Correndo risco, a morte pulsa mais Queremos ajuda, mas não tem ajuda Não temos culpa de sermos tão pobres assim É calamidade pública Queremos ajuda! Moro no fim do mundo Vivo nesse fim de mundo Rastejo aqui no fim do mundo E sinto um desgosto profundo E muito mais Minha família, os meus amigos Agora estão soterrados, estavam lá Chuva, lá vem ela Chuva, lá vem ela e vem sem dó Lá vem, lá vem, lá vem, lá vem, lá vem... Moro no fim do mundo Vivo nesse fim de mundo Rastejo aqui no fim do mundo E sinto um desgosto profundo E muito mais Minha família, os meus amigos A minha família, estava lá Chuva, lá vem ela Chuva, lá vem ela e vem sem dó Lá vem, lá vem, lá vem, lá vem, lá vem... Chuva, lá vem ela Chuva, lá vem ela e vem sem dó Lá vem, lá vem, lá vem, lá vem, lá vem...




Investimentos de estrutura para o mundial de futebol no Brasil é igual a bilhões e bilhões....





E a realidade brasileira?

Nenhum comentário: