segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

A Profecia de Virgem Maria em Garabandal, é verdadeira? Ou estamos no tempo do "engano"


Após o Papa João XXIII, apenas virão mais três Papas e depois…não haverá mais


Para que possamos compreender de forma correta a profecia dos Papas, anunciada pela Virgem Maria em Garabandal durante o tempo das aparições ( 1961 – 1965), temos de ligar esta profecia ao Concílio Vaticano II. Ao longo dos tempos, que esta parte da profecia anunciada pela própria Virgem Maria às meninas desta humilde aldeia, foi mal interpretada e explicada. Convém também realçar que as videntes, e no caso particular de Conchita, nada conheciam sobre a famosa profecia dos Papas
san-malaquias
São Malaquias
de São Malaquias. Quando informaram a Conchita que esta profecia que Nossa Senhora anunciou em Garabandal, era parecida com a profecia de S. Malaquias, ela disse: “ O que é a profecia de S. Malaquias? Não conheço, nunca ouvi falar.”

Digamos que as duas profecias estão intimamente ligadas entre si, aliás ambas são praticamente idênticas, pois ambas definem uma continuidade cronológicas de Papados até ao fim dos tempos. A única diferença reside no facto de a profecia de São Malaquias incluir o Papa que reinará durante a grande tribulação, ou seja, já no fim dos tempos ( Papa Pedro, o romano) e a profecia dos Papas de Garabandal indica apenas os Papas que faltam até chegarmos ao fim dos tempos.

Tomando em consideração as aparições de Garabandal, temos que nos focar apenas nas circunstâncias e no contexto destas aparições. As aparições de Nossa Senhora em Garabandal ocorreram entre 1961 e 1965, cujos pontos fundamentais foI o sacerdócio, a Eucaristia, e sobre a própria Igreja de que todos nós fazemos parte integrante . Por dividência, quis Deus que as aparições de Garabandal coincidissem com a realização do mais importante e maior Concílio de sempre realizado pela Igreja católica. O Concílio Vaticano II, teve início a 11 de Outubro de 1962 e terminou a 8 de Dezembro de 1965. Quer a abertura, quer o seu término ficam associados a datas de Nossa Senhora, o da Imaculada Conceição e da Divindade de Maria, digamos que houve sempre uma orientação maternal em relação ao Concílio.

Sendo assim, pelo facto de ter havido esta ligação entre Garabandal e o Concílio, a profecia dos Papas que foi anunciado na mesma época e no mesmo contexto, deve ser particularmente vista como uma profecia que anuncia os Papas que faltam até ao fim dos tempos, que marca um fim de um periodo e o início de um outro, o de uma nova Igreja que farão parte dos novos tempos. O Concílio Vaticano II, vem desta forma preparar a Igreja para uma nova e renovada Igreja, da qual todos nós fazemos parte integrante. Aliás, durante todo o tempo em que Nossa Senhora apareceu em Garabandal, que Ela ensinou às meninas de que forma todos nós podemos ter uma papel activo dentro da Igreja, essencialmente através da família, a chamada Igreja doméstica. A Igreja não somos todos nós?
Mas afinal que confusão houve ao longo destes tempos sobre esta profecia?

Conchita
Conchita

A frase mais conhecida sobre esta profecia do fim dos tempos de Garabandal é a seguinte: ” Depois de João XXIII, haverá mais três Papas e depois o fim dos tempos.” No entanto, a maioria das pessoas desconhece que Nossa Senhora falou mais sobre este ponto. Numa entrevista que Conchita deu a um escritor Alemão, por volta de 1965,  a mesma afirmou ao escritor que Nossa Senhora disse-lhe que não eram três mas sim quatro Papas, isto porque um deles não contava na realidade e que um dos Papas teria um reinado muito curto. Soube-se à pouco tempo que Conchita decidiu apenas falar sobre os três Papas e não sobre os quatro, porque quando Conchita falou sobre isto à sua mãe Aniceta, ela não gostou de ter ouvido por parte de sua filha que um dos Papas não contava. Por essa razão, a mãe de Conchita disse-lhe que era então preferível que dissesse que faltavam três Papas em vez de dizer que faltavam quatro Papas e um deles não contar.

Será que existe ligação entre o Papa que teria “um reinado muito curto” na contagem dos Papas ?

Sim, para nós tem. Quando Nossa Senhora disse a Conchita que um dos quatro Papas não conta, isto não quer dizer que ele não foi Papa, porque todos nós sabemos que ele na realidade foi Papa, aliás como qualquer outro Papa eleito, mas temos que olhar para a frase “ … não conta”, na perspectiva que  esse Papa não teve tempo de implementar as reformas que pretendia, reformas associadas aos frutos do Concílio Vaticano II, pelo facto de ter tido um reinado muito curto, apenas 33 dias de mandato como Papa da Igreja ( Papa João Paulo I ).

Então, quais foram os Papas que implementaram o Concílio Vaticano II ?

A contagem dos Papas até ao fim dos tempos, deve ser realizada a partir dos Papas que ajudaram e que têm ajudado a implementar os conceitos do próprio Concilio na Igreja , foi o caso do Papa Paulo VI, do Papa João Paulo II e do actual Papa Bento XVI. Se estudarmos e lermos mais sobre este assunto, sobre os frutos do Vaticano II, veremos que estes três Papas desenvolveram  pontos associados ao Concílio, por exemplo, João Paulo II desenvolveu o Catecismo da Igreja católica e da Nova Evangelização, Papa Bento XVI tem aprofundado em muito a parte do Ecumenismo e união dos cristãos, um dos objectivos principais do Concílio e o Papa Paulo VI a mesma coisa.

Em resumo, a contagem dos Papas até ao fim dos tempos, deve ser sempre feita, a nosso ver, à luz do Concílio Vaticano II, até lá haverão três Papas que irão ajudar de forma bem vinculada a implementação do Concílio Vaticano II ( Papa Paulo VI, Papa João Paulo II e Papa Bento XVI) para a futura constituição da Igreja dos novos tempos, em que haverá uma Igreja renovada na fé, esperança e caridade.

Realçamos que esta é a nossa interpretação em relação a esta profecia, no entanto fazemos questão de realçar um ponto importante, acreditamos no seu cumprimento. Uma coisa é certa, independentemente da interpretação que se der em relação ao porquê de um dos quatro Papas não contar, depois do quarto Papa ( atual Bento XVI), entraremos oficialmente no fim dos tempos. Se Nossa Senhora disse tudo isto, então é porque toda esta profecia constitui verdade e um dia tudo isto irá acontecer. É apenas um questão de tempo !

Um comentário:

José Luz disse...

As únicas aparições contemporâneas dignas de fé são as de Fátima. As predições milagrosas feitas em Julho para o dia 13 de Outubro de 1917 acertaram em cheio. Ninguém poderia prever uma lente de ar porque tal coisa não é susceptível de previsão assim. Ainda hoje. Todos querem ter aparições e visões como as de Fátima. Enfim....