terça-feira, 27 de março de 2012

Não haverá fim do mundo em 2012 ?

Sagradas Escrituras e NASA desmentem fim do mundo em 2012

Cientista da agência espacial derruba um a um os mitos relativos a este ano

Por Marcelo Cypriano
marcelo.cypriano@arcauniversal.com


Cientista sênior do Laboratório de Propulsão da agência espacial norte-americana, a NASA, Donald Yeomans desmente vários mitos sobre o tão falado fim do mundo em 2012. Muitos desocupados de plantão pregam isso sem qualquer base científica, mas Yeomans tem o melhor da ciência mundial a seu favor, além de algo que ele mesmo não esperava: a Bíblia.
Portanto, não se preocupe ainda em estocar baterias e latas de conserva no porão, não compre aquela tevê 3D de “trocentas” polegadas com seu cartão só porque a loja e os cobradores vão acabar junto com a Terra, e pare de assistir demais aos filmes do Michael Bay e do Roland Emmerich (até porque você merece algo melhor). Vamos aos fatos.


Nada como um dia após outro
O mais novo vilão planetário não é um homem vestido de preto dos pés à cabeça com um sabre luminoso, nem um psiquiatra doido que almoça gente. É o famigerado calendário maia, achado arqueológico em forma de um grande disco de pedra esculpida. Mas a fama é injusta, segundo Yeomans. Acontece que a “folhinha” dos maias é um daqueles calendários que servem para vários anos, e sua contagem acaba em 21 de dezembro deste ano (ou do que equivaleria a 2012 para eles, segundo a correspondência com nosso calendário gregoriano). Então, alguns interpretaram que seria nesse dia o fim dos tempos. Ledo engano. É como se você achasse um calendário de qualquer ano e supusesse que o mundo acabaria dia 31 de dezembro, por não haver mais nada escrito depois disso.
Segundo o cientista da NASA, o dia 21 dos maias, em seu ciclo de contagem anual, equivalia ao nosso 31, depois do qual sempre veio o 1º de janeiro do ano seguinte. A pedrona com jeitão de biscoito recheado aí ao lado não tem culpa nenhuma. Se os “conquistadores” espanhóis não tivessem dizimado a raça pré-colombiana para passar a mão no ouro deles, talvez mais calendários com contagem posterior a 2012 tivessem sido achados. Pode marcar um programa legal com a família ou os amigos para o 22 de dezembro que, aliás, é um sábado. Se bem que é uma ótima desculpa para não comprar presentes de Natal.

Uma pedrada e tanto
Mais coisa de desocupados: inventaram por aí que um planeta de nome esquisito, o tal de Niburu, está vindo em direção à Terra e vai colidir com ela. Aí vêm os fanáticos por teorias da conspiração dizer que a NASA está escondendo o fato para não gerar pânico. Também chamado de Planeta X, a grande bola sem mais o que fazer – a não ser visitar sistemas solares estrangeiros e bater violentamente na casa dos outros – nunca foi detectada por milhares de astrônomos profissionais e amadores que vasculham os céus todo santo dia (e noite, claro). E esse pessoal descobre novos corpos celestes de vez em sempre. O telescópio orbital Hubble que o diga, coitado. E seu colega de NASA Yeomans reitera: mais bobagem. E olha que o cientista é simplesmente um dos cabeças do Programa de Objetos Próximos à Terra, da agência espacial.
Em fila, por favor
Reza a lenda que os planetas de nosso Sistema Solar (até Plutão, que foi rebaixado no clube) se alinhariam em dezembro deste ano, é claro, no dia 21. E tal alinhamento, segundo as más línguas, causaria catástrofes gravitacionais nas marés de nossos oceanos: um festival de tsunamis.


Mas, antes de pensar em baleias com o rabo agarrado no bondinho do Pão de Açúcar, Don Yeomans lamenta informar, mas a inundação foi cancelada. Os únicos astros que influenciam as marés por causa da gravidade são a Lua (pela proximidade) e o Sol (pelo grande tamanho). Em tempo: não há nenhum alinhamento planetário previsto para essa data. E mesmo que houvesse, vale o que o cientista falou quanto aos nossos luminares do dia e da noite.
De ponta-cabeça
Mais uma: alguém com tempo demais de sobra inventou que o eixo da Terra seria alterado, e os polos magnéticos do nosso planeta seriam invertidos. Yeomans refuta: o eixo de rotação de nosso planeta não pode ser alterado, pois a órbita da Lua em torno dele o estabiliza.
Já a inversão dos polos, até poderia acontecer. Porém, não de repente, como pregam. Pelo menos nos próximos 500 mil anos, nada disso está previsto pela ciência. Se isso realmente acontecesse, seria uma mudança que levaria milhares de anos – sem prejuízos à vida na Terra –, o que seria facilmente percebido pelos cientistas, “e teríamos tempo de sobra para reajustarmos nossas bússolas”, diz Yeomans.
“Noé” sem arca
Semana passada, o prefeito da cidade serrana gaúcha de São Francisco de Paula, Décio Colla, disse algo que não colou, com o devido perdão pelo trocadilho. O homem, na altura de seus mais de 60 anos de vida, está alarmando a população dizendo que o mundo vai mesmo acabar dia 21 de dezembro de 2012. Pirou? “Noé também foi chamado de louco”, disse o alcaide. Bem, Noé foi orientado pelo próprio Deus. Quem é que está orientando o prefeito? Se o mundo não vai acabar no fim do ano, o mesmo já não pode ser dito da carreira política de Colla.
Parecer bíblico
Don Yeomans conclui com um pensamento bem simples, que não chega a requerer a inteligência de um cientista espacial: desde que o mundo é mundo, milhares de pessoas já “previram” o fim do mundo. Ele está aí até hoje, e vai continuar. E ninguém pode saber o dia do Juízo Final.
Bem antes da NASA e dos ociosos conspiradores, o próprio Jesus Cristo disse, como registrado nas Sagradas Escrituras, que só a Deus pertence a tão especulada informação:



“Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras não passarão.

Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos que estão no céu,
nem o Filho, senão o Pai.

Olhai, vigiai e orai; porque não sabeis quando chegará o tempo.”

Marcos 13.31-33
Extraído de:
 

Nenhum comentário: