domingo, 26 de janeiro de 2014

À espera de catástrofes? Para sobreviver estoque alimentos por pelo menos 100 dias.

O astrólogo faz questão de manter o estoque sempre cheio, porque acredita que o "mundo nos pegará de surpresa com o seu fim"Gustavo Frasão / R7

À espera do fim do mundo, astrólogo continua estocando alimentos e combustível no DF

Ele afirma ter mantimentos para sobreviver por pelo menos 100 dias em casos de catástrofes

Mesmo após ter se passado mais de um ano do dia 21 de dezembro de 2012, o astrólogo Felipe Porto, que estoca  alimentos e combustível em casacontinua à espera do fim do mundo. Ele faz parte de um grupo chamado "Preparadores" e diz estar sempre pronto para superar qualquer tipo de catástrofe que venha a surgir nos próximos dias, meses ou anos.
Para ele, o fim do mundo, que não aconteceu em 2012, como muitos acreditavam, pode ser experimentado a qualquer momento e provavelmente chegará por meio de uma forte onda eletromagnética expelida pelo sol que deixará o planeta inteiro sem energia e comunicação por tempo indeterminado.

— Tenho acompanhado diariamente notícias sobre o assunto em sites especializados, redes sociais e até em artigos de cientistas. Quando isso acontecer, poderei me manter bem e sozinho por pelo menos 100 dias com o que tenho guardado.
Leia mais notícias no R7 DF      

Médico constrói casa 'à prova do fim do mundo' em Alto Paraíso de Goiás

Porto disse que nunca acreditou nem afirmou categoricamente que o mundo acabaria no dia 21 de dezembro de 2012, mas sempre teve a convicção de que "o fim está bem próximo".

Um dos principais fatores que o leva a sustentar a tese é o fato de que ultimamente o planeta está enfrentando grandes mudanças climáticas e naturais, o que o levar a crer que isso seria um aviso sobre acontecimentos sérios, generalizados e irreversíveis a curto ou médio prazo.

— Tempestades, enchentes, tufões, terremotos, furacões e grandes catástrofes naturais ganham força a cada ano em várias partes do mundo. Isso sempre existiu, mas está saindo do controle, ficando imprevisível e chegando a lugares até então calmos. Temperaturas altas ou baixas de mais, que não aconteciam há décadas, começam a surpreender muita gente.

Porto acredita que o Sol está "brincando de roleta russa" no espaço e a qualquer momento pode atingir a Terra com labaredas cheias de radiação e calor.
Para ele, nessa situação, o mundo ficará sem luz e todo o sistema de comunicação global será derrubado, causando uma grande "catástrofe humana".

Quem não estiver bem preparado para enfrentar os tempos difíceis "ou morrerá ou matará para lutar pela vida", uma vez que nem os "melhores profissionais serão capazes de consertar os danos".  
— É a lei da sobrevivência. Sem luz, energia, internet e sem nada funcionando, especialmente os aparelhos eletrônicos e digitais, as pessoas vão perceber que não têm dinheiro. Elas vão olhar para a carteira e se dar conta que têm apenas um pedaço de plástico que não vai servir para nada sem internet, máquinas de cartão e terminais eletrônicos. Será um caos total, não haverá ordem social, o mundo ficará sem leis e sem direitos humanos.

Estoque
Em casa, o astrólogo começou a estocar comida e combustível há pelo menos dez anos. A gasolina, guardada na sauna da residência, servirá para alimentar os motores de máquinas que o ajudarão a gerar energia elétrica por conta própria, a criar fogo e a preparar comida enquanto "for necessário".  
— Tenho uma plantação aqui em casa também, com todo tipo de fruta que puder imaginar. Guardo uma quantidade considerável de sementes para plantar mais se preciso for. Tenho um poço com muita água estocada e sempre compro em grande quantidade alimentos não perecíveis ou que têm data de validade maior. Os que vencem e não são utilizados, faço questão de substituir porque não sei quando acontecerá. O mundo nos pegará de surpresa com o seu fim.
Copiado de: http://noticias.r7.com/distrito-federal/a-espera-do-fim-do-mundo-astrologo-continua-estocando-alimentos-e-combustivel-no-df-26012014

Nenhum comentário: