sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

É o fim? Rojão feriu cinegrafista no Rio. E a Copa do mundo?

FIFA World Cup 2014 - THE REAL BRAZIL



Copa do mundo 2014: um desastre total...




Cinegrafista fica gravemente ferido durante 



protesto contra tarifa no Rio


Cerca de mil pessoas se reuniram pacificamente na Igreja da Candelária.
Santiago Ilídio Andrade foi atingido na cabeça enquanto trabalhava.

Do G1, em São 

Paulo
94 comentários
Um cinegrafista da rede Bandeirantes ficou gravemente ferido na quinta-feira (6), no Centro do Rio de Janeiro, quando registrava um protesto contra o aumento nas passagens de ônibus. A Polícia Militar afirma que a bomba foi atirada por vândalos. Mas um repórter da Globo News que acompanhava a manifestação disse que o artefato partiu da PM. (Veja ao lado a reportagem completa exibida no Bom Dia Brasil)
No fim da tarde, cerca de mil pessoas se reuniram na Igreja da Candelária. A manifestação foi contra o aumento na tarifa do transporte coletivo, que passa, neste sábado (8), de R$ 2,75 para R$ 3 – um reajuste de 9,09%. E começou pacífica. Estudantes, integrantes de partidos políticos e black blocs caminharam em direção à Central do Brasil.
Dentro da estação de trem, mascarados subiram nas catracas, e algumas foram quebradas. Houve confronto com a Polícia Militar e muita correria. Passageiros passaram mal e outros fugiam do tumulto.
Do lado de fora da Central do Brasil, mais confusão: um grupo atirou paus e pedras em PMs, que revidaram lançando bombas de efeito moral. Vândalos arrancaram placas de metal para usar como escudo e chutaram tapumes. Baderneiros também apedrejaram uma delegacia e fizeram fogueira no meio da rua, impedindo a passagem de carros e ônibus. Eles também derrubaram um dos portões principais da Central do Brasil.
Montagem 2 - cinegrafista da Band é atingido em protesto no Rio (Foto: Agência O Globo)Cinegrafista da Band é atingido na cabeça em
protesto no Rio (Foto: Agência O Globo)
Fotos da Agência O Globo mostram o momento em que o cinegrafista Santiago Ilídio Andrade, da TV Band, é atingido na cabeça (veja ao lado).
O funcionário está em pé, com a câmera no ombro, trabalhando no meio da praça. No primeiro registro, é possível ver um rastro de fogo com faíscas perto das costas dele.
Na sequência, a imagem mostra uma explosão na cabeça do cinegrafista. Uma grande quantidade de fogo se espalha. Na cena seguinte, ele se curva, ainda com a câmera no ombro, e é possível ver muita fumaça.
Momentos depois, o repórter cinematográfico da TV Globo Júnior Alves se aproxima e registra a imagem do cinegrafista da Band caído no chão.
Comandante do 5° Batalhão da Polícia Militar (BPM), Luis Henrique Marinho, informou à assessoria de imprensa da PM que, na hora do incidente, estava a 30 metros do local onde o cinegrafista foi atingido. O comandante disse ter visto pessoas vestidas de preto lançando morteiros, e um desses explosivos teria caído na cabeça do funcionário da Band.
Ao contrário do que afirmou o comandante, o repórter da Globo News Bernardo Menezes, que acompanhava a manifestação, relatou que no fim da noite de quinta, no Jornal das Dez, as bombas de efeito moral teriam partido da polícia. Segundo o jornalista, que estava a poucos metros da confusão, um desses arteatos estourou perto do cinegrafista da Band, que caiu na hora.
O Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro do Rio, divulgou que o cinegrafista foi ferido na cabeça, teve um afundamento craniano e foi operado à noite. No início da madrugada desta sexta-feira (7), a Secretaria da Saúde informou que a operação de Santiago Andrade foi concluída e que a hemorragia no ferimento, controlada. Ele continua em estado grave, no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) da unidade. Outras sete pessoas também ficaram feridas na manifestação.
Outros 6 feridos também foram encaminhados para o hospital. Um deles passou a noite internado em observação. Os demais foram liberados.
A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) divulgou nota repudiando a agressão ao cinegrafista da Bandeirantes. A Abraji informa que ainda não se sabe quem disparou o artefato – se policiais ou manifestantes. Afirma também que é necessária uma apuração rápida do que ocorreu para que procedimentos sejam revistos e para que o estado proteja a liberdade de expressão, a liberdade de informação e o jornalista.
A TV Bandeirantes também divulgou nota, informando que o cinegrafista Santiago Andrade foi ferido na cabeça por um artefato – e que não se sabe, por enquanto, se por uma bomba de gás lacrimogêneo ou de fabricação caseira. O comunicado diz também que a Band espera no hospital, junto à família de Santiago, os resultados da cirurgia.
A TV Globo também lamenta profundamente o episódio e acompanhará de perto o caso até que tudo seja esclarecido. E se solidariza com a família do cinegrafista da Bandeirantes, Santiago Andrade.
http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2014/02/cinegrafista-fica-gravemente-ferido-durante-protesto-contra-tarifa-no-rio.html

Rojão que feriu cinegrafista no Rio 





não 





foi lançado por PM, diz delegado



Polícia diz ter convicção de que artefato foi lançado por manifestante.
Ferido em protesto, Santiago Andrade está internado em estado grave.


Identificacao do rojão foi feita com apoio do Esquadrão anti-bombas da PM (Foto: Kathia Mello / G1)
Identificaçao do rojão foi feita com apoio 
do Esquadrão antibombas da PM (Foto: 
Kathia Mello / G1)
O delegado Maurício Luciano, da 17ª DP (São Cristóvão), disse em entrevista coletiva, na tarde desta sexta-feira (7), que a polícia tem a convicção de que o artefato que atingiu o 
repórter cinematográfico Santiago Ilídio Andrade, da TV Bandeirantes, não foi lançado pelas forças de segurança do estado.
O cinegrafista foi ferido quinta-feira (6) durante protesto que acabou em confronto entre manifestantes e policiais nas imediações da Central do Brasil, no Rio e, às 18h desta sexta, seguia internado em estado grave no Hospital Souza Aguiar.
"O artefato tem 60 gramas de explosivo. Apenas dois pedaços foram recolhidos no local. Este tipo de artefato é apreendido com frequência nas manifestações", disse o técnico do Esquadrão Antibombas da Core Elington Cacella. Ele acrescentou  que o explosivo é vendido em casas de fogos, mas a lei determina que o comprador seja maior de 18 anos e o lançamento, feito com autorização prévia.Luciano disse que vai analisar imagens da Prefeitura, do Exército (Comando Militar), da equipe de TV BBC e do próprio cinegrafista ferido para avaliar e identificar o autor.

Segundo o delegado, nenhuma fonte de investigação será descartada. "A gente também vai pedir imagens da SuperVia para avaliar a rota de fuga do autor", disse. Ele afirmou que o artefato é um rojão de vara, também conhecido como rojão treme-treme.

Perito criminal
O perito criminal e professor de medicina da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) Nelson Massini afirmou, nesta sexta, que o artefato que atingiu o repórter cinematográfico é um rojão à venda em qualquer loja de fogos de artifício. A declaração foi dada após o docente analisar, a pedido da TV Globo, imagens e fotos em sequência com registros de momentos antes e depois de o cinegrafista ser atingido.

“É um rojão que pode ser comprado em qualquer loja de artifício e por qualquer pessoa. Não é uma bomba de fabricação caseira nem um cabeção de nego. São fogos usados em festividades”, explicou Massini, que afirmou também que o artefato não costuma ser usado pela Polícia Militar.
“Não é uma bomba de efeito moral que costuma ser usada pela PM. O rojão tem um sistema de detonação diferente. Na imagem aparece um tubo preto e o propulsor que impulsiona o rojão”, completou.
Santiago Ilídio foi atingido na cabeça durante protesto contra o aumento da passagem de ônibus realizado no Centro do Rio, na tarde desta quinta (6). Ele teve afundamento de crânio, passou por uma cirurgia de aproximadamente quatro horas. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, no começo da noite desta sexta ele seguia internado em estado grave no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital Souza Aguiar.
.
Copiado de: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2014/02/rojao-que-feriu-cinegrafista-no-rio-nao-foi-lancado-por-pm-diz-delegado.html

Nenhum comentário: