segunda-feira, 17 de junho de 2013

Que mundo é esse? Que país é esse? Filma nós aê!


Jovens foram ao estádio Mané Garrincha para protestar

Que país é esse? Jovens protestam contra os gastos excessivos da Copa do Mundo

No último sábado (15), manifestantes tomaram às ruas de Brasília para protestar contra o abuso do dinheiro público nas obras da Copa 


Jovens foram ao estádio Mané Garrincha para protestar (Leanderson Lima)
Nos anos 80, os gritos de protesto da juventude de Brasília ganharam o País inteiro na voz de Renato Russo com a banda Legião Urbana. Eram tempos de redemocratização do Brasil com o fim da Ditadura Militar, tempos de fortes crises econômicas, tempos de falta de esperança...
No último sábado (15), outra geração, mas com a mesma vontade de mudar a situação do País, tomou às ruas de Brasília para fazer um grande protesto contra o abuso do dinheiro público nas obras da Copa do Mundo de 2014.  Foi um grito de indignação, repúdio, desabafo.
Só que, desta vez, o grito dos jovens de Brasília não teve a poética de Renato Russo, mas ainda assim eles formaram uma legião, e o barulho feito foi muito mais longe do que qualquer música do poeta do rock nacional. Desta vez, o grito dos jovens de Brasília foi ouvido nos quatro cantos do mundo.
Gastança
A revolta foi motivada pelo preço astronômico que custou o estádio Nacional de Brasília, o Mané Garrincha, nada menos que 1 bilhão e 200 milhões de reais. É o mais caro do mundial. Uma obra gigantesca para um futebol pequeno, que não tem apelo de público.
Revolta também pelo cancelamento de cirurgias no Hospital de Base de Brasília. Na última terça-feira, a Secretaria de Saúde informou que o hospital só voltaria a realizar cirurgias depois do jogo entre Brasil e Japão. O governo negou que a suspensão das cirurgias tivesse relação com o evento. Não colou.
Via Facebook
Os manifestantes se organizaram por meio de uma comunidade no Facebook. Mais de 11 mil pessoas curtiram a página e mais de mil participaram do protesto.
O grupo marcou como ponto de encontro a rodoviária, no Plano Piloto. Um dos gritos mais repetidos foi: “Copa do Mundo, não quero não, quero dinheiro pra saúde e educação”.
O início da manifestação foi pacífico, mas, à medida em que os manifestantes chegaram aos portões do estádio, a confusão começou. Para controlar a situação, a Polícia Militar usou bombas de gás lacrimogêneo. De acordo com a Secretaria de Segurança de Brasília, oito pessoas foram presas e 23 saíram feridas do confronto. Nenhuma em estado grave.
Estudantes apontam prioridades
Manifestante mascarado participa de protesto em Brasília
“Esta é a Copa da vergonha. A saúde tá precária. Não tem como gastar tanto dinheiro em um estádio, com essa grana dava pra fazer tanta coisa, inclusive cirurgias que foram canceladas aqui no Hospital de Base”, lembrou a manifestante Raquel Dente, 20, estudante de Desenho Industrial na UNB.
O estudante João Paulo Mendonça, 25, conta que queria apenas ter o direito de protestar contra os gastos excessivos. “Nós queremos o nosso direito de manifestar o que está previsto na Constituição. O que eu sinto é uma sensação de revolta ao ver que gastaram tanto dinheiro para fazer um estádio. Ainda bem que a população acordou. Eu fazia parte da turma do comodismo, mas as manifestações em São Paulo me incentivaram a estar aqui”, disse.
O estudante Leandro Tadeu, 27, cobrou mais investimentos na educação. “Como é que a gente quer sediar uma Copa do Mundo se a gente não investe na educação? Enquanto se gasta esse dinheiro, precisamos investir nas escolas públicas, precisamos de um transporte decente. Aqui, a gente chega a ficar quatro horas esperando um ônibus”, revelou.
Copiado de: 
http://acritica.uol.com.br/craque/manaus-amazonas-amazonia-Jovens-protestam-gastos-excessivos-Copa-Mundo-confederacoes-Brasilia-futebol-manifestacoes_0_939506053.html

Nenhum comentário: