quarta-feira, 18 de março de 2015

Com protestos em 13 Estados, MTST tenta dar "resposta ao avanço da direita" Último Segundo - iG

Manifestantes bloquearam avenidas e rodovias em três Estados Foto: MTST/Facebook / Reprodução


Sem-teto protestam por moradia pelo Brasil


Manifestantes bloqueiam ruas e rodovias 


em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas 


Gerais


 Um ato coordenado pelo Movimento dos Trabalhadores Sem-teto (MTST) paralisou ruas e avenidas de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte na manhã desta quarta-feira. Segundo o MTST, os protestos fazem parte da Jornada Nacional da Resistência Urbana. "Serão bloqueadas dezenas de rodovias e avenidas nas capitais exigindo o lançamento imediato do Programa Minha Casa Minha Vida 3, prometido pelo Governo Federal desde 2014 e o recuo no ajuste fiscal", disse o movimento, em sua página oficial no Facebook.
Os manifestantes protestam contra as medidas do governo Dilma em adiar novos lançamentos do programa de moradia popular. Um dos pedidos do MTST é o "fortalecimento da gestão direta dos projetos" e reversão "dos privilégios às empreiteiras".
Protestos de 15 de março
Por meio de comunicado, o MTST repudiou "discursos de ódio e golpismo", segundo o movimento, deflagrado nas mobilizações contra a presidente Dilma Rousseff (PT) no último domingo. "As mobilizações desta quarta também irão marcar posição contra a defesa de intervenção militar, o preconceito elitista e a intolerância.Defendemos ainda uma política de reformas populares", completou o grupo.




São Paulo
Na capital paulista, os manifestantes saíram do terminal Guarapiranga com destino à marginal Pinheiros, que também foi interditada.




Sem-teto fazem passeata na avenida Guarapiranga, na zona sul de São Paulo Foto: MTST/Facebook / Reprodução
Sem-teto fazem passeata na avenida Guarapiranga, na zona sul de São Paulo
Foto: MTST/Facebook / Reprodução
Os dois sentidos da Rodovia Raposo Tavares foram interditados, por volta das 8h15 de hoje (18) na altura do quilômetro (km) 21, próximo à Granja Viana, por integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e de outros movimentos sociais. Eles atearam fogo a uma barreira feita com pneus. Segundo a Polícia Militar, cerca de 300 pessoas participam do protesto.


Por volta das 10h, a marginal Tietê também foi interditada no sentido Ayrton Senna, na altura da ponte Governador Orestes Quércia. Segundo a polícia, cerca de 200 pessoas participavam deste ato.
De acordo com o MTST, a avenida Aricanduva, na zona leste da capital, foi bloqueada às 9h30. A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) informou que, às 10h30, a ocupação da via era total, na altura da avenida Ragueb Chohfi, sentido marginal. Veja o resumo dos bloqueios em São Paulo:
LOCAL DO BLOQUEIOHORÁRIO
Rodovia Raposo Tavares Entre 8h e 9h
Marginal PinheirosEntre 8h40 e 9h30
Avenida Senador Teotônio VilelaEntre 9h e 10h15
Avenida Assis RibeiroEntre 9h20 e 10h
Avenida Giovani Gronchi/ Estrada de ItapecericaEntre 9h30 e 10h30
Radial LesteEntre 9h50 e 10h50
Marginal TietêEntre 9h30 e 10h20
Avenida AricanduvaEntre 9h30 e 10h30
Rio de Janeiro




Interdição em rodovia de São Gonçalo (RJ) Foto: MTST/Facebook / Reprodução
Interdição em rodovia de São Gonçalo (RJ)
Foto: MTST/Facebook / Reprodução
Manifestantes protestaram na Rodovia Niterói-Manilha (BR-101), em Niterói, no Grande Rio. Eles atearam fogo em uma barricada de pneus e fecharam a pista no sentido Ponte Rio-Niterói.
Segundo a concessionária Autopista Fluminense, que administra a via, o protesto ocorreu na altura do quilômetro 321, a pouco mais de um quilômetro da ponte. O engarrafamento, de acordo com a concessionária, chega a cinco quilômetros de extensão.
Policiais militares e rodoviários federais negociaram com os manifestantes a liberação da rodovia.
O ato em Minas Gerais ocorreu em Contagem, onde moradores das ocupações William Rosa e Guarain Kaiowá protestavamna BR-040. segundo informações do Bom Dia Brasil, os manifestantes fecharam a via no sentido Sete Lagos e Belo Horizonte.
LOCAL DO BLOQUEIO
Bloqueio da BR-050 em Uberlândia
Bloqueio da BR-365 em Uberlândia
Bloqueio da BR-165 em Uberlândia
Bloqueio da MG-010 em Belo Horizonte
Bloqueio do Anel Viário em Belo Horizonte
Bloqueio da BR-040 em Belo Horizonte
O MTST ainda informou que foram feitos bloqueios nas rodovias BR-101 E BR-116, em Fortaleza; na avenida Tácio Pessoa, em João Pessoa (PB);  Contorno Sul, em Curitiba e avenida Paralela, em Salvador. Estão marcadas interdições para o período da tarde para São Paulo, Campinas (SP), São José dos Campos (SP) e nos estados do Tocantins e Espírito Santo.
Colaboraram com esta notícia os leitores Alexandre Constâncio Moraes, Bruno Lucas e Gabriela da Cunha Ursulino, de São Paulo (SP), que participaram do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra. Se você também quiser mandar fotos, textos ou vídeos, clique aqui ou envie pelo aplicativo WhatsApp, disponível para smartphones, para o número +55 11 97493.4521.
http://noticias.terra.com.br/brasil/cidades/sem-teto-protestam-por-moradia-pelo-brasil,e87557c716c2c410VgnVCM3000009af154d0RCRD.htmlTerra
POREM:  Em 
12 de abril.

Grupos antigoverno marcam novos protestos: “vai ser maiorApocalipse News

Eles foram rápidos. Na manhã desta segunda-feira, um dia depois da realização de diversas manifestações ao redor do País contra o governo da presidente Dilma Rousseff (PT), líderes dos coletivos articuladores dos atos se reuniram e marcaram data para uma nova onda de protestos: 12 de abril. O evento foi divulgado nas redes sociais do Movimento Brasil Livre e já começou a receber confirmações de presença.
“Nós esperávamos uma adesão muito grande neste domingo, mas eu, particularmente, não esperava tantas pessoas assim. Era muita gente, especialmente em São Paulo. Nós contratamos um técnico da CET [Companhia de Engenharia de Tráfego] para ficar em cima de um prédio na Avenida Paulista e fazer o cálculo de quantas pessoas havia por lá. Ele chegou em 1,5 milhões por volta das 15h50”, disse, ao Terra, Marcello Reis, porta-voz do Revoltados Online, outro grupo da organização. “E a tendência agora é aumentar”, completou. Ele ressaltou também que a data inicial para os novos protestos ainda pode ser alterada.
Os números relativos aos participantes do ato na capital paulista, porém, são divergentes. De acordo com a Polícia Militar do Estado, ele contou com 1 milhão de pessoas. Segundo o Datafolha, com 210 mil.
Alguns internautas, ao se depararem com a data marcada para as novas manifestações, reclamaram do intervalo, supostamente longo, entre elas. Para Reis, no entanto, esse tempo é necessário. “Durante esse período de um mês, devem acontecer novos escândalos no governo. Isso faz aumentar a revolta dos brasileiros. Faz mais gente aparecer. Sem contar que, quando você faz um evento dessa magnitude, as coisas ficam mais detalhadas e consomem muito seu tempo. Temos que fazer vistoria nos oito caminhões e nos organizarmos para cuidar da segurança dos participantes, por exemplo”, contou.

Com informações Terra
APC:NEWS

Nenhum comentário: